terça-feira, 12 de abril de 2011

MATURIDADE EMOCIONAL...




A idade cronológica das pessoas nem sempre coincide com a emocional. É mais comum, inclusive, a maturidade física chegar antes.

Há pessoas que passam a vida toda numa eterna infância/adolescência porque a base da maturidade é a capacidade de tolerar a frustração. Algo que a criança aprende com o passar do tempo: nasce egoísta e com sensação de onipotência, uma vez que, na barriga da mãe sempre tem todas suas necessidades satisfeitas; mas, na medida em que cresce, percebe que nem tudo é como ela gostaria, nem sempre suas necessidades e desejos são satisfeitos.

Infelizmente, muitos pais mimam demais os filhos, o que os leva a crescer com a falsa sensação de que podem tudo o que desejam e isso os impede de chegar à maturidade emocional, mesmo adultos na idade cronológica.

Uma pessoa imatura, em geral, não tem consciência da sua imaturidade. Pelo contrário, muitas vezes age no sentido de tentar provar para outras pessoas que é madura.

Uma pessoa madura encara de forma positiva seus erros e acertos, sabe lidar bem com as dificuldades da vida e tira proveito de todas as situações que vivencia, encarando-as como um aprendizado de vida. Uma pessoa madura é equilibrada emocionalmente, não se deixa levar por suas emoções, sabe lidar bem com as críticas, com seus próprios erros e nunca foge das responsabilidades de seus atos.

Amadurecer é processo contínuo

É humanamente impossível controlar absolutamente todas as emoções, mas é bastante viável ter domínio sob muitas delas. Para isso é preciso crescer.

Para crescer é necessário se conhecer, se amar, ter tolerância e, principalmente, saber lidar com frustrações. O psicoterapeuta Flávio Gikovate afirma que o primeiro passo para a felicidade sentimental está em aprender a ficar razoavelmente bem sozinho. “Isso só ocorre com maturidade emocional, que se caracteriza pela capacidade de suportarmos bem as dores da vida.”

Sempre é tempo para crescer. Mas chega um momento da vida que não dá mais para ter atitudes infantis ou enxergar os fatos somente pela ótica do “nosso mundinho”.

Amadurecer dói...

Amadurecer significa ter de abandonar utopias e encarar a realidade como ela é, muitas vezes mais fria e racional do que gostaríamos...

Mas amadurecer tem suas vantagens.

Quando aprendemos a simplificar as coisas e ver seu verdadeiro valor, a vida se torna mais prazerosa, mais gostosa de ser vivida.


Você é a responsável pelos seus sofrimentos!

Procure um psicólogo(a) de sua confiança, faça uma consulta e decida pelas suas mudanças emocionais.


Joselaine de Fátima G. Garcia
Psicóloga, CRP07/18433
Especializando em Docência Universitária
Consultório Psicológico em Cruz Alta/RS
Rua Barão do Rio Branco 1701, sala 101
Fone (55) 9167-7928
Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização.