terça-feira, 14 de junho de 2011

DEPENDÊNCIA AFETIVA INIMIGA NÚMERO UM DO AMOR!


Você tem relacionamentos ruins repetidas vezes? Você Não se importa com seus próprios interesses, se anula, se fixa no relacionamento e faz dele o centro de sua vida?

Você Idealiza seus relacionamentos? Está sempre pronta a agradar? Não consegue dizer "não", mas se arrepende depois?   Fica do lado do telefone, ansiosa, esperando ele (a) ligar?

CUIDADO VOCÊ PODE ESTAR SOFRENDO DE DEPENDÊNCIA AFETIVA!


Dependência afetiva é um dos principais elementos de bloqueio na vida de um indivíduo.

Dependência Afetiva é um distúrbio de comportamento que afeta um número muito grande de homens e mulheres. Em geral, pessoas que amam ilimitadamente, que vivem em uma linha tênue que alterna entre carência, amor e sofrimento, na grande maioria de total baixa autoestima, quase todas adquiriram este distúrbio em alguma experiência onde suas necessidades emocionais não foram atendidas, seja na infância ou mesmo em relacionamentos passados.

É geralmente uma pessoa que cresceu em uma família disfuncional na qual suas necessidades emocionais não foram atendidas. Indivíduos que não se sentiram apoiados e valorizados que se relacionaram em ambientes conturbados destarte verão sua realidade como fria, vazia e solitária.

Pessoas carentes afetivamente atraem relacionamentos confusos e insatisfatórios por apresentarem-se tão disponíveis em troca de amor, carinho e atenção. Correm o risco de serem rejeitados, não valorizados e menosprezados pelo parceiro. Os relacionamentos preenchem este vazio sentido por elas.

A pessoa acredita que não seja merecedor de amor e sim os seus parceiros o sejam.

Na verdade, muitas vezes, ele até tem consciência de que o relacionamento não é saudável, mas não consegue sair desta situação, isso porque as motivações que o levaram a tal posição são inconscientes.

Algumas características da pessoa que sofre de dependência afetiva:

  1. Não se importando com seus próprios interesses, essas pessoas por muitas vezes se anulam, se fixam no relacionamento e fazem dele o centro de sua vida;
  2. Idealizam relacionamentos
  3. São inseguros e estão sempre prontos a agradar, demonstra muito amor e muito controle, sem perceber que isso acaba por sufocar a outra parte.
  4.  Não consegue dizer "não", mas se arrepende depois;
  5.  Se compromete a fazer coisas que não quer fazer, e depois acaba não conseguindo dar conta delas;
  6. Pensar primeiro nos outros, a não ser egoísta e a se colocar em último plano;
  7. Tem relacionamentos ruins repetidas vezes;
  8. Fica do lado do telefone, ansiosa, esperando o parceiro (a) (namorado/marido) ligar;
  9.  Vive checando a caixa de correio/correio eletrônico/secretária eletrônica para ver se há mensagens;
  10.  Cancela um encontro com um (a) amigo(a) para se encontrar com ele de última hora;
  11.  Abre mão de amizades, interesses e objetivos pelo relacionamento;
  12.  Substitui rapidamente um amor/caso recente;
  13.  Corre para casa para estar disponível ao parceiro;
Caso você tenha se identificado com a situação, não hesite em buscar ajuda, pois o caminho para administrar o problema é desenvolver a auto aceitação e com isso a autoestima. Você precisa aprender a amar de forma saudável, estando em primeiro lugar e dosando para não ser egoísta, ame a si mesmo, resgate seu amor próprio, sem isso jamais poderá se relacionar de forma equilibrada. Desenvolva auto aceitação, não é por ser carente que você vai encontrar em outros indivíduos o que te falta, busque dentro de você e se achar que não é capaz procure ajuda um profissional especializado, é o grande diferencial que pode ser de grande ajuda.
Joselaine de Fátima G. Garcia
Psicóloga, CRP07/18433
Especializando em Docência Universitária
Consultório Psicológico em Cruz Alta/RS
Rua Barão do Rio Branco 1701, sala 101
Fone (55) 9167-7928