quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A CRIATIVIDADE NO PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO...USANDO MELHOR A MENTE!


A criatividade no processo de negociação...mente convergente e divergente!!!!


Hoje, para alcançar sucesso é indispensável além do conhecimento técnico, a capacidade para resolver problemas, relacionamento, lidar com a diversidade o que implica no uso da habilidade criativa, sendo proativo e quebrando paradigmas.

A criatividade no processo de negociação beneficia a flexibilidade, melhor aproveitamento da diversidade e a conciliação de situações opostas, enfrentando e dirigindo a transação a favor de ambas as partes.

A criatividade favorece distinguir o que todos distinguem, mas visualizando coisas diferentes, transformando riscos em oportunidades, identificando algo a mais do que o habitual, beneficiando cercar oposições, atuando pro ativamente.

Cada vez mais a importância de pensar diferente, motivar ideias, avistar oportunidades num mundo repleto de estimulo passa a ser essencial para a sobrevivência das pessoas e das organizações.

A destruição mental de tudo que já existe é condição primordial para iniciar o processo criativo.

Boa parte do nosso pensamento é reativo: respondemos a uma necessidade, resolvemos problemas, superamos problemas, dedicamos pouco tempo para a pró-atividade.

A criatividade na arte da negociação abrange o ato de escutar, criar, conciliar, deliberar e enfim administrar, existindo como referencial a visão dos dois lados.

O desenvolvimento da percepção do negociador beneficia a visão total e exclusiva do cenário de negociação, igualmente promove a intuição, analogias e arguição.

Treinamento de pensamento divergente e convergente poderá facilitar no ato da negociação criativa, já que negociar é resolver problemas, administrar conflitos, etc.

Para ser proativo é preciso treinar, usar os dois lados do cérebro e para isso é preciso saber que lado você está usando hoje.

Assim sendo vamos começar identificando que tipo de mente você tem. Você tem uma mente divergente ou convergente?

Visualize a figura abaixo por cinco segundos e descreva o que visualizou.



Se você viu um senhor calvo de bigode...você tem mente divergente

Se você viu os detalhes, a dama de vestido longo, o cachorro, o bebê, o senhor de chapéu grande e bigode, o pássaro, etc. bem então você tem mente convergente.

Mentes Convergentes:
A mente convergente parte dos detalhes, tem o lado esquerdo do cérebro dominante, a mente convergente favorece o raciocínio logico, o cálculo (matemática) etc.
Características das pessoas convergentes:
  • Têm um maior senso de organização e preferem trabalhar em ambientes arrumados.
  • Não conseguem fazer duas coisas ao mesmo tempo.
  • Têm rotinas previsíveis e imutáveis.
  • Quando você fala de alguém, o convergente lembra do nome
Para quem tem a mente convergente o que deve ser feito para melhorar a outra área do cérebro, é mostrar para ele que existem outras alternativas para desenvolver atividades, não apenas as que você se acostumou.

Divergentes:
A mente divergente parte do todo e depois para as partes, têm a dominância do lado direito, os divergentes, têm a parte intuitiva e criativa bem aguçadas,
Características das pessoas com mente divergente:
Normalmente são:
  • Desorganizados,
  • imprevisíveis,
  • transgressores de regras.
  • Jamais anotam compromissos na agenda.
  • Quando você fala de alguém, o divergente lembra do rosto. 

Quem tem a mente divergente, deve trabalhar uma atividade específica em um dia, e se atentar para os detalhes dela, com isso, a pessoa vai ativar o seu lado convergente, uma boa brinaceira e a dos sete erros onde você precisará se ater aos detalhes.

Como vimos o segredo é fazer o cérebro trabalhar, mostrar a ele que existe sempre outro jeito de fazer a mesma coisa. E isso se obtém, por exemplo, fazendo um trajeto diferente para ir ao trabalho, tomando banho de um jeito que você não está acostumado, trocando o relógio de pulso pois assim você precisará refletir antes de olhar a hora, ou seja, mudando o que está no “automatizado” espontâneo e assim ativará bem mais a sua mente, e sua potencialidade criativa. 


Joselaine Garcia
psicóloga