terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O PERÍODO DE FESTAS PODE NÃO SER TÃO FELIZ PARA ALGUMAS PESSOAS


DEPRESSÃO DE FINAL DE ANO
Entrevista concedida ao Jornal Diário Serrano - 
ed. especial de natal 2012 - 24/12/2012 - Reportagem Adrieli Fogaça


Quais as razões mais freqüentes destes episódios?

A depressão de final de ano é sazonal, ou seja, é temporária, normalmente, passa depois das festas. Há muitos motivos para isso, ela tem causas multifatoriais, mas, dentre os fatores podemos citar:
v  A tristeza  ao lembrar as pessoas que passaram em nossas vidas, bem como as emoções passadas;
v  Lembranças da infância
v  Medo Consciente de encarar outro ano, de enfrentar os velhos e novos problemas.
Outro fator que contribui para isso é que no início do ano fazemos planos, começamos projetos, traçamos metas e trabalhamos com a expectativa elevada. Com a chegada do final do ano passamos a fazer uma retrospectiva, a analisar nosso desempenho, destarte, dependendo do resultado de nossa auto-análise, podemos ficar felizes ou embarcar num estado de angustia, ansiedade e muitas vezes, de depressão.

Para evitar ou amenizar as conseqüências mais graves que ela pode gerar, há algumas atitudes que podem ser tomadas, embora, seja necessário analisar cada caso em particular, pois não existe receita pronta, cada caso é um caso, mas vão aqui algumas sugestões:
ü  Primeiramente, é aconselhável evitar o rigor demasiado consigo mesmo, procure enumerar as coisas boas que ocorreram no ano, ao invés de fazer uma lista das coisas ruins.
ü  Busque recordar o quanto se é querido pelas pessoas mais chegadas, as que verdadeiramente importam. Isso colabora para a elevação da autoestima.

ü  Não tente ignorar a data, achando que o problema vai embora, ao contrário, esteja ciente dessa, para que você lide melhor com essa situação.

ü  Evite a solidão: Procure se cercar de pessoas de quem se gosta e aumentar a interação com elas ao máximo possível. Seja um amigo, um namorado ou um vizinho, esteja ao lado de companhias agradáveis. Caso a depressão venha ficar crítica, em último caso, ligue para alguém de sua confiança, ela escutará você e isso já lhe dará um bom conforto.

ü  Evite pensamentos negativos: Faça coisas que te de prazer, que você ache recompensadoras,

ü  Não desconsidere as experiências desagradáveis, use-as a seu favor aprenda com os erros.

ü  Presenteie-se, já que é Natal, dê a você mesmo um merecido presente, e creia: você merece.

Respeite os seus limites, mas faça o que for possível fazer! 

Quais os sintomas da depressão de final de ano?

Os sintomas da depressão podem variar de pessoa para pessoa, mas alguns são observados com maior freqüência:

Distorção na visão do mundo e queda na autoestima: A depressão provoca uma distorção na visão de mundo e na visão que a pessoa tem de si mesma, pois os aspectos negativos passam a ter mais importância que os positivos, há uma queda na autoestima.

Tristeza, apatia, mudança nos hábitos alimentares e alterações do sono: A pessoa sente-se triste e abatida, as coisas ficam sem graça, as atividades que antes eram apreciadas e prazerosas perdem o significado, acontecem mudanças nos hábitos alimentares, como perda ou aumento de apetite e alterações no sono.

Isolamento social e diminuição do desejo sexual: não raras às vezes, passa a haver um isolamento social dos amigos, colegas, família e também uma diminuição do desejo sexual.

Cansaço freqüente, dificuldades de concentração: A energia e motivação diárias também sofrem alterações, a pessoa pode apresentar dificuldades de concentração, cansaço, sentir-se pesado e lento. As tarefas de rotina passam a ficar extremamente difíceis.


Quando buscar ajuda profissional? 

Sinais de perigo envolvem transtornos de humor que durem mais de duas semanas, acessos de choro, mudanças no apetite e nos níveis de energia, dificuldades de concentração e até pensamentos sobre morte e suicídio, se você sentir que a sua depressão está piorando cada vez mais, se você está se sentindo impossibilitado de executar tarefas do dia-a-dia, está totalmente sem energia, é indicado que consulte um profissional imediatamente.
Necessitar de ajuda no tratamento da depressão não denota que você é fraco ou que é pior que os outros. Muitas vezes o pensamento negativo da depressão pode levar você a sentir que não vale à pena, que nada poderá auxiliar você e que você irá ser sempre assim. Porém isso não é verdadeiro, a depressão pode ser tratada e você pode voltar a sentir-se muito bem!


É comum as pessoas sentirem-se deprimidas nestas datas? 

Os quadros de depressão no fim de ano são muito comuns, as festas de final de ano são grandes potencializadoras das emoções, destarte, facilmente leva a um quadro depressivo nas pessoas que estão mais fragilizadas emocionalmente, ou podem agravar os sintomas naqueles que já convivem com a depressão. Para quem tem pré-disposição a depressão, as festas de fim de ano podem funcionar como um gatilho.

A intensidade ou gravidade varia de pessoa para pessoa, muitas pessoas ao terminar as comemorações de finais de ano melhoram, no entanto outras o problema pode ser intenso durante o período podendo levar até mesmo ao suicídio, cada caso é um caso.

Segundo um estudo da Yale University, conduzido por Susan Nolen-Hoeksema, do departamento de psicologia, revela que a taxa de suicídio nessa época do ano quase dobra: 

Cabe aqui ressaltar que a tristeza de final de ano faz parte do melhor da condição humana. A vida é um intercambio de chegadas e partidas. Que bom que tivemos o privilegio de viver situações e conviver com pessoas que hoje só estão em nossas lembranças. Portanto curta as lembranças, pois elas fazem parte da vida, só não deixe que a tristeza tome conta de você por muito tempo, caso esse estado de tristeza perdure por mais tempo ou se torne insuportável busque ajuda profissional!

Drª JOSELAINE GARCIA
Psicóloga e Hipnóloga
CRP 07/18433 e SIAHC 1488
Credenciada ao Instituto Brasileiro de Hipnologia
Membro da Sociedade Ibero-Americana de Hipnose Condicionativa
Psicóloga destaque Nacional -  2012
Psicóloga destaque Sul Brasil - 2012
Psicóloga destaque Estadual - 2012
Psicóloga destaque Municipal- 2012
Psicóloga destaque Municipal- 2011