quarta-feira, 25 de setembro de 2013

COMENDO AS EMOÇÕES



Você sabia que as emoções podem influenciar, e muito, no seu peso?


O Neuropsiquiatra Sidney Chioro, de São Paulo, calcula que 95% das mulheres saudáveis engordam porque comem para suprir emoções, uma espécie de compensação que, na realidade, só traz prejuízo.

Mesmo que a fome "física" esteja presente, existem outros "gatilhos" de caráter psicológico.

Não rara às vezes a comida surge como resposta, como fuga ao desconforto causado pelas sensações de medo, stress, culpa, ansiedade, raiva, solidão, tristeza, sensação de incompetência, baixa auto-estima, medo de falhar, expectativas frustradas, medo de ser rejeitado, vazio existencial, etc.

As emoções mal direcionadas podem boicotar por anos seu sonho do peso “ideal”, estimulando até mesmo o efeito sanfona.

Além de malhar e comer corretamente, atentar ao que passa na sua cabeça, diariamente, é tática das mais eficientes para garantir o sucesso da sua dieta.

É necessário identificar o que leva este paciente a comer da forma que come, bem como, é preciso aprender a reagir corretamente a cada sentimento.

Mas não esqueça que o excesso de peso deve ser tratado por uma equipe multidisciplinar (psicólogo, nutricionista, preparador físico, médico, etc)

O tratamento do excesso de peso envolve, essencialmente, o conhecimento de si próprio o controle de suas emoções, a reeducação alimentar e o aumento da atividade física. Em casos mais graves de obesidade, muitas vezes, é necessário a intervenção medicamentosa, bem como a intervenção cirúrgica.

Cabe aqui ressaltar que estou falando de obesidade de origem emocional, ou seja, aquela que você já realizou todos os tipos de exames médicos e nenhuma patologia, como tireóide, problemas hormonais, etc., foi diagnosticada como causadora do aumento de peso, ainda que esse tipo de obesidade, também demande acompanhamento psicológico.

Portanto, como vimos, associado ao modo de vida e a hereditariedade temos a parte psicológica que, também, influencia no modo como você se relaciona com a comida, assim sendo, fique atenta ao que passa em sua “cuca”, na psicoterapia busca-se em sua história de vida conteúdos, pensamentos e aprendizagens que levam a este comer exagerado e a partir do diagnóstico é possível traçar estratégias de mudança. Dê adeus à gordura emocional, Fique mais leve no divã!

O texto acima escrevi para minha coluna no site Cruz Alta online

JOSELAINE GARCIA
Psicóloga e Hipnóloga
CRP 07/18433 e SIAHC 1488
Hipnóloga credenciada ao Instituto Brasileiro de Hipnologia
Membro da Sociedade Ibero-Americana de Hipnose Condicionativa
Consultório Psicológico em Cruz Alta – RS,
Rua Barão do Rio Branco 1701 sala 101

Cel: (55) 9167-7928
Prêmios recebidos

* Psicóloga Destaque Estadual, Prêmio Master Estadual 2013, conforme pesquisa da Empresa Master Pesquisas.
* Psicóloga Destaque Mercosul, Prêmio Master Mercosul 2013, conforme pesquisa da Empresa Master Pesquisas.
Psicóloga Destaque Nacional, Prêmio Master Nacional Integrado 2012, conforme pesquisa da Empresa Master Pesquisas.
* Psicóloga Destaque Municipal 2012, no município de Cruz Alta/RS, Conforme pesquisa da Empresa Exclusiva Pesquisas.
* Consultório de Psicologia destaque na Região Sul do Brasil(RS, PR, SC), Prêmio Master Sul Brasil 2012, conforme pesquisa da Empresa Master Pesquisas.
Consultório de Psicologia destaque Estadual, Prêmio Master Estadual 2012, conforme pesquisa da Empresa Master Pesquisas.
Psicóloga Destaque Estadual 2012, Troféu Master Estadual 2012, conforme pesquisa da Empresa Master Pesquisas.
Psicóloga Destaque Municipal 2012, no município de Cruz Alta/RS, Conforme pesquisa da empresa Ouro Pesquisa e Publicidade.
Psicóloga Destaque Municipal 2011, no município de Cruz Alta/RS, conforme pesquisa da Empresa Sul Pesquisas.