segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

PSICOLOGIA COMUNITÁRIA E OS MOVIMENTOS SOCIAIS NO BRASIL.

O homem ao nascer precisa dos outros para sobreviver, é um ser dependente até que adquira autonomia para viver por si mesmo.

Ele faz parte de um grupo desde o início de sua vida, seja este grupo uma díade ou um grupo maior. Toda a sua vida será caracterizada por participação em grupos, podendo-se dizer que isto caracteriza sua existência como relacional e histórica.

Desta forma cada grupo social possui normas que norteiam as relações entre as pessoas, sendo que algumas são mais sutis, outras mais rígidas, até aquelas que se cristalizam em leis e são passíveis de punição pelas autoridades. Estas normas são o que caracteriza aquilo que denominamos de "papéis sociais", que por sua vez definem as relações sociais.

As pessoas que fazem parte de um grupo sentem, pensam, movimentam-se, têm vontades, sonhos, planos, crenças e valores em relação a sua vida diária, para buscar seus direitos plenos eles organizam-se em movimentos sociais, pois suas necessidades explicitas são todas gritantes por liberdade dignidade e reconhecimento.

Todos eles (movimentos) reivindicam aspirações existenciais básicas como saúde, educação, alimentação e respeito...

Os militantes de cada grupo assumem suas bandeiras significativas que lhe propiciam bem estar, felicidade. Essa é a constância de cada grupo, sejam na área ambiental, agrária, GLS, ONGS, etc. São lutas pela libertação humana e respeito acima de tudo.

Tais movimentos expressariam a consciência cada vez maior das comunidades da importância do seu envolvimento no processo de tomada de decisões em problemas vitais para a transformação das condições ambientais.

O trabalho em Psicologia Social e Comunitária possibilita a reconstrução de um conhecimento que atenda à realidade social e ao cotidiano de cada indivíduo, permitindo uma intervenção efetiva na rede das relações sociais que restringe o campo de suas ações, interações e reflexões, ou seja, o campo de seu existir; Focalizam a mobilização comunitária como sendo um objetivo chave no estudo e intervenção comunitária.

Joselaine Garcia