quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

NA CONTRAMÃO DA ALEGRIA - DEPRESSÃO DE FINAL DE ANO



Pelo que é provocado esse sentimento?


A depressão, aqui falando mais especificamente de uma depressão sazonal, a de final de ano, ela tem causas multifatoriais, ou seja, muitos fatores podem acarretar uma depressão, memórias remotas negativas, e feridas psicológicas ainda latentes e dolorosas podem contribuir para a depressão de final de ano, dentre os fatores desencadeantes podemos citar ainda as lembranças da infância, separação, solidão, o luto pela morte de um ente querido, a aversão ao consumo exagerado, período de avaliar o que se fez ou deixou de se fazer, tempo de avaliações, cobranças, arrependimentos, conquistas, perdas, ganhos, idealizações, sentimento de culpa, enfim, vários são os fatores desencadeantes.

Trata-se de um agravo de uma situação de depressão que já existe, ou é algo que surge nesta época?

Os quadros de depressão no fim de ano são muito comuns, as festas de final de ano são grandes potencializadoras das emoções destarte, facilmente leva a um quadro depressivo nas pessoas que estão mais fragilizadas emocionalmente, ou podem agravar os sintomas naqueles que já convivem com a depressão.
Pesquisas apontam que há um aumento de até 40% nos casos de depressão nesse período.

Há alguma diferença para a depressão observada nas demais épocas do ano? Mais ou menos grave?
A diferença básica entre o Transtorno Afetivo Sazonal (TAS) – Depressão de final de ano e a depressão maior é que esta última não precisa de uma época do ano específica para se manifestar e não desaparece com o passar do período.
O (TAS) aqui falando especificamente da depressão de final de ano é uma forma de depressão que, como o próprio nome diz, ocorre principalmente durante as festas de finais de ano. A intensidade ou gravidade varia de pessoa para pessoa, muitas pessoas ao terminar as comemorações de finais de ano melhoram, no entanto outras o problema pode ser intenso durante o período podendo levar até mesmo ao suicídio, cada caso é um caso.

Como identificar e ajudar alguém que está sofrendo desta depressão?
Os sintomas da depressão podem variar de pessoa para pessoa. Um sinal é quando alguém alegre e sociável se torna irritável e retraído. Sinais de perigo envolvem transtornos de humor que durem mais de duas semanas, acessos de choro, mudanças no apetite e nos níveis de energia, dificuldades de concentração e até pensamentos sobre morte e suicídio.
Para quem está se sentindo deprimido e impossibilitado de executar tarefas, totalmente sem energia, é indicado que consulte um profissional imediatamente.
Em alguns casos os sintomas não são tão severos, mas mesmo assim os indivíduos se sentem tristes. Quando o vazio da alma ataca, não é fácil para ninguém.
Para vencer esse momento não temos receita pronta, pois cada caso é um caso, deve-se levar em conta cada historia de vida, mas para amenizar a depressão e o estresse causados pelas festividades de fim de ano vão algumas sugestões:

O que fazer:
  • Procure se cercar de pessoas de quem se gosta e aumentar a interação com elas ao máximo possível. Seja um amigo, um namorado ou um vizinho, esteja ao lado de companhias agradáveis. 
  • Faça exercícios;
  • Faça coisas que te de prazer, que você ache recompensadoras,
  • Não tente ignorar a data, achando que o problema vai embora, ao contrário, esteja ciente dessa, para que você lide melhor com essa situação.
  • Nunca tente passar as comemorações só.
  • Se estiver distante das pessoas queridas, procure  se ocupar com atividades diversas.
  • Não desconsidere as experiências desagradáveis, use-as a seu favor aprenda com os erros.

Faça o que for possível fazer, respeitando os seus limites, mas faça! 

O que não fazer:
  • Ficar em casa sozinho
  • Não fazer planos 
  • Desconectar o computador
  • Desligar os telefones
  • Deixar de atender a porta e/ou interfone


Os familiares, amigos e namorado podem ajudar o individuo que se encontra depressivo escutando, entendendo, partilhando com ele o sofrimento, temos que estar ali, disponível, lhe oferecer um ombro amigo para que chore todas as suas dores, emoções, culpas, angústias, ansiedades. Temos que lhe dar acima de tudo AMOR!

Sentimentos de depressão podem ser altamente maléficos à saúde, a depressão é um mal que se não tratado, abala as relações familiares, o trabalho, as amizades, a vida sexual e a disposição para a vida. Pode levar à insônia, ao abuso do álcool, às drogas, aos tranquilizantes e até a morte. 

Existem vários tipos de depressão, como a depressão maior, Distimia (depressão crônica), o transtorno afetivo sazonal (Depressão de final de ano ou depressão de inverno), entre outros. O problema diagnosticado com mais frequência é a depressão maior (também conhecida como transtorno depressivo maior ou depressão clínica).
depressão provoca uma distorção na visão de mundo e na visão que a pessoa tem de si mesma, pois os aspectos negativos passam a ter mais importância que os positivos, há uma queda na autoestima.
A pessoa sente-se triste e abatida, as coisas ficam sem graça, as atividades que antes eram apreciadas e prazerosas perdem o significado, acontecem mudanças nos hábitos alimentares, como perda ou aumento de apetite e alterações no sono.
Também, não raras às vezes, passa a haver um isolamento social dos amigos, colegas, família e também uma diminuição do desejo sexual.
energia e motivação diárias também sofrem alterações, a pessoa pode apresentar dificuldades de concentração, cansaço, sentir-se pesado e lento. As tarefas de rotina passam a ficar extremamente difíceis.

Os sintomas da depressão podem variar de pessoa para pessoa, conheça os sintomas da doença observados com maior frequência:
  • Perda de energia ou interesse
  • Humor deprimido
  • Dificuldade de concentração
  • Alterações do apetite e do sono
  • Lentificação das atividades físicas e mentais
  • Sentimento de pesar ou fracasso
  • Pessimismo
  • Dificuldade de tomar decisões
  • Dificuldade para começar a fazer suas tarefas
  • Irritabilidade ou impaciência
  • Inquietação
  • Achar que não vale a pena viver; desejo de morrer
  • Chorar à-toa
  • Dificuldade para chorar
  • Sensação de que nunca vai melhorar, desesperança
  • Dificuldade de terminar as coisas que começou
  • Sentimento de pena de si mesmo
  • Persistência de pensamentos negativos
  • Queixas frequentes
  • Sentimentos de culpa injustificáveis
  • Boca ressecada
  • Perda de peso e apetite
  • Insônia
  • Perda do desejo sexual


Quais são as estatísticas?
Dados divulgados em 2010 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) assinalam que nos próximos 20 anos a depressão deve se tornar a doença mais comum do mundo, afetando mais pessoas do que qualquer outro problema de saúde. Ainda segundo a (OMS) 17 milhões de brasileiros sofrem de depressão. No mundo, estima-se que 121 milhões de pessoas sofram com a depressão.
A doença afeta mulheres, homens, crianças, adolescentes e idosos e é mais comum em pessoas com idade entre 15 e 44 anos. Estima-se que o risco de desenvolver depressão, ao longo da vida, seja de 10% para os homens e de 20% para as mulheres.

O que desencadeia essa doença?

A causa da depressão é multifatorial, ou seja, a depressão é causada por uma combinação de fatores biológicos, psicológicos, sociais e ambientais. 

Dentre as causas e fatores de risco para a depressão pode-se citar:
  • Solidão
  • Tensão financeira
  • Problemas de relacionamento ou conjugal
  • Falta de apoio social
  • Uso de álcool ou drogas
  • Recentes experiências de vida estressantes
  • Problemas de saúde ou de dor crónica
  • Trauma ou abuso de infância
  • História familiar de depressão
  • Situação de desemprego ou o subemprego


Como evitar uma depressão?

Prevenir esta doença é o melhor “remédio”. Vai umas dicas para você viver melhor e tentar evitar esse mal, só não podemos esquecer que cada caso é um caso e que não existe receita para isso, as dicas são sugestões de bem viver e que serve para levarmos uma vida saudável.
  • Faça exercícios diários, caminhadas ao ar livre ajuda muito a evitar, bem como reduzir a doença.
  • Alimente-se bem, tenha uma alimentação balanceada e equilibrada
  • Evite ficar sozinho, saia com os amigos e divirta-se. Este é um modo de não se isolar do mundo. Viva a vida intensamente.
  • Aprenda a conviver com os conflitos do dia-a-dia. Saiba gerenciar as crises que podem acontecer e não perca o equilíbrio.
  • Procure ficar ao lado das pessoas que gostam de você. Compartilhe com elas seus sentimentos, desafios e expectativas. Ter uma parceria com cumplicidade é a melhor forma de ficar bem com o mundo.
  • Faça o que você gosta e relaxe. Invista em seus hobbies, ler, caminhar, pintar, costurar, pescar, etc.
  • Ria, nada melhor do que rir, procure tornar seu dia agradável.
  • Mantenha o pensamento positivo.
  • Busque o autoconhecimento.


É importante lembrar que a depressão é uma doença que requer tratamento, e pelo fato da depressão ser uma doença, ela pode ficar muito pior sem o cuidado adequado.

A escolha do tratamento da depressão irá depender da avaliação realizada por um profissional médico ou psicólogo.
(Entrevista concedida ao Jornal diário Serrano - Cruz Alta/RS - ed. do dia 24/25 de março de 2011)

Joselaine Garcia
CRP - 07/18433
Psicóloga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização.