quinta-feira, 16 de outubro de 2014

AMOR OBSESSIVO ...

Os conflitos e a dependência um do outro por demasiado, além da desconfiança, são algumas das atitudes que demonstram um relacionamento não estar em harmonia.

No amor patológico muitas vezes o que observamos é a codependência, ou seja, a dependência do outro para prover necessidades emocionais internas. Quando isso não acontece, a obsessão aparece, bem como a depressão, entre outros problemas emocionais.

Cada situação é única e cada caso deve ser avaliado, mas uma alternativa para lidar com esse problema é tirar o foco da vida do outro e coloque em si mesmo. Comece uma jornada de autoconhecimento, se valorize e a partir daí estabeleça seus desejos e limites. Não tente controlar o outro, somente a si mesmo, porém muitas vezes isso sozinho não é fácil, pois o sentimento é mais forte que o sujeito, neste caso não hesite em buscar ajuda profissional.


Se você tem um relacionamento obsessivo, o casal necessita se tratar para compreender o que é normal e o que é patológico e buscar preencher e avaliar as suas necessidades, sem depender de outra pessoa, a psicoterapia e tratamentos psiquiátricos muitas vezes são a solução. Liberte-se o quanto antes para amar com qualidade, pois o amor é o melhor sentimento que alguém pode experimentar. Mas o amor saudável e verdadeiro é precedido de equilíbrio e confiança.

Joselaine Garcia
Psicóloga e Hipnóloga
CRP 07/18433 e SIAHC 1488
Pós Graduada em Docência Universitária
Hipnóloga credenciada ao Instituto Brasileiro de Hipnologia
Membro da Sociedade Ibero-Americana de Hipnose Condicionativa
Psicóloga laureada com diversos prêmios a nível:
  Nacional, Sul Brasil,  Estadual e Mercosul,
      Blog: joselainegarcia.blogspot.com