terça-feira, 24 de julho de 2012

ELE PEDIU UM TEMPO. E AGORA?


Quando falamos em dar um tempo, vários questionamentos surgem em nossas cabeças, como: É para colocar os sentimentos em ordem? Qual deve ser o objetivo do tempo? Pode ser uma deixa ou falta de coragem do homem para fazer com que ela termine o namoro? Ou o primeiro passo para depois tomar coragem de terminar? Quando ele pede um tempo é por que está interessado em outra, mas não tem certeza de quem ele realmente quer ficar? Uma forma de escapar da traição? Enfim, várias dúvidas surgem ...

Cada pessoa reagirá a essa experiência com o seu padrão relacional, ou seja, é, seu modo próprio de ser, constituído a partir de sua história de vida que originou um sistema interno de valores e crenças sobre relacionamento afetivo. A atuação do inconsciente está presente o tempo todo ao longo de nossa vida, interferindo em cada processo psíquico, em menor ou maior grau.

Claro que não é fácil para quem escuta e, muitas vezes o medo da perda impede que algumas pessoas concordem com qualquer tipo de afastamento, mesmo que temporário.

Porém, se você ouvir essa frase de seu namorado, tente descontrair e levar a vida normalmente saia com suas amigas e aproveite para curtir a sua liberdade. Confie em si própria, e lembre-se que a felicidade está em si e a capacidade de amar também. A tua felicidade está na tua mão, não na mão do outro. Dar um tempo não é o fim!

Quando falamos em dar um tempo, vários fatores estão em jogo, cada caso é um caso e deve ser analisado dentro do seu contexto. 

A decisão entre investir e desistir da relação é muito complexa, é uma grande rede de fatores que envolvem a tal decisão uma vez que abarca diversos fatores, mas, aqui falando de forma generalizada, podemos dizer que muitas vezes é preciso se afastar dos problemas para que se possa olhar para eles de um ponto de vista diferente, portanto nem sempre o “dar um tempo” signifique não amo mais você, estou interessado em outra, etc.

Quando alguém pede um tempo no namoro normalmente é porque as coisas já não estavam indo bem e isso não acontece de repente, talvez você não tenha dado atenção aos sinais que, possivelmente, seu namorado vinha demonstrando. Como dizia Freud, às vezes, um charuto é apenas um charuto, ou seja, às vezes o que falamos é só o que falamos, sem  segundas intenções.

JOSELAINE GARCIA
Psicóloga e Hipnóloga
CRP 07/18433 e SIAHC 1488
Pós Graduada em Docência Universitária
Credenciada ao Instituto Brasileiro de Hipnologia
Membro da Sociedade Ibero-Americana de Hipnose Condicionativa

 _______________________

Prêmios recebidos
Psicóloga Destaque Estadual 2012, Troféu Master Estadual 2012, conforme pesquisa da Empresa Master Pesquisas.
Psicóloga Destaque Municipal 2012, no município de Cruz Alta/RS, Conforme pesquisa pública realizada pela empresa Ouro Pesquisa e Publicidade.
Psicóloga Destaque Municipal 2011, no município de Cruz Alta/RS, conforme pesquisa pública da Sul Pesquisas, realizada no município de Cruz Alta – RS


Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização.