quinta-feira, 22 de setembro de 2016

FALAR SOBRE SUICÍDIO É A MELHOR PREVENÇÃO

 (Entrevista, concedida ao Repórter do Jornal Diário Serrano)
Quais são os principais mitos sobre o suicídio?

Existem muitos mitos acerca do suicídio, dentre eles podemos destacar os seguintes:



 Quem pensa em cometer suicídio, realmente quer se matar - MITO, Quando uma pessoa pensa em suicídio ela quer acabar com a dor, nunca com a vida! Elas desejam por um fim a um sofrimento.
·         A pessoa que quer se suicidar não avisa - MITO, Suicidas freqüentemente dão ampla indicação de sua intenção, é fundamental estar atento ao que a pessoa diz.
·         A pessoa que ameaça suicídio deseja manipular os outros. MITO, A ameaça de suicídio deve ser sempre levada a sério. Isso indica que a pessoa está sofrendo e necessita de ajuda, o que dirige a ação de suicidar-se é uma dor psíquica insuportável. A pessoa que atua dessa forma está sofrendo e necessita de ajuda. Mesmo em caso de tentativa de manipulação, nas mensagens enviadas, não se deve esquecer que pode haver, também, uma grande dose de desespero para que se chegue a tal ponto.
·         Falar sobre o suicídio com a pessoa que quer se matar, pode estar induzindo a isso. MITO, Falar sobre o suicídio e as idéias que está tendo, ajuda a pessoa a se sentir acolhida por alguém que se interessa por seu sofrimento. Vale ressaltar que buscar ajuda profissional é importante após esse momento.

Como a desinformação afeta a prevenção?
A desinformação agrava ainda mais a situação. Falar sobre o assunto pode salvar vidas. A primeira medida preventiva é a educação. Saber quais as principais causas e as formas de ajudar pode ser o primeiro passo para reduzir as taxas de suicídio no Brasil
O estigma do suicídio é um dos maiores problemas quando o assunto é prevenção. Para que esse tabu seja desconstruído, é necessário INFORMAÇÃO!
A Prevenção de qualquer doença se faz com informação clara e objetiva. A informação é a principal arma, salva vidas, assim como já aconteceu com outras doenças, como as doenças sexualmente transmissíveis, diabetes ou câncer, a prevenção tornou-se realmente bem-sucedida quando as pessoas passaram a conhecer melhor esses problemas.

Quais os fatores mais comuns que levam ao suicídio?
As pesquisas revelam que em mais de 90% dos casos de suicídio se enquadra num diagnóstico de transtorno mental, portanto, o suicídio freqüentemente é o desfecho trágico de doenças psiquiátricas como: Depressão, transtorno afetivo bipolar, esquizofrenia, abuso de álcool ou outras substâncias, etc.
Existem, também, causas imediatas como: fracasso amoroso, morte de um ente querido, desemprego e dificuldades financeiras; gravidez indesejada, aborto; infecção por HIV ou outra doença sexualmente transmissível; doença física grave; etc
No entanto é imprescindível ressaltar que sempre há muitos fatores que se combinam e que levam ao suicídio, nunca é apenas um motivo, suas razões não são pontuais, as causas incluem um extenso escopo é um comportamento com determinantes multifatorial e resultado de uma complexa interação de fatores psicológicos, biológicos, culturais e socioambientais.

Existe uma correlação entre suicídio e uso de drogas?
História de abuso de álcool e drogas está presente entre muitas crianças e adolescentes que cometem suicídio.
Pessoas suicidas tendem a se envolver em comportamentos autodestrutivos, como o uso de drogas. Assim como o álcool colabora para a violência contra o próximo, ele pode desencadear violência contra si mesmo.
O alcoolismo é um diagnóstico frequente naqueles que cometeram o suicídio, particularmente em indivíduos jovens. Neste grupo etário tem sido verificado que um em cada quatro pacientes suicida consumiu álcool ou droga antes do ato.


Qual a correlação entre automutilação e suicídio?
A automutilação é diferente da tentativa de suicídio, a pessoa se corta, mas sabe que não vai morrer por causa disso.
A automutilação muitas vezes está relacionada a outros problemas psicológicos, como depressão, ansiedade, transtornos alimentares, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), fatores esses que podem levar ao suicídio.

Infelizmente, neste processo, a ideação suicida e as automutilações levam muitas vidas dos nossos jovens.  (Entrevista, na íntegra, concedida ao Repórter do Jornal Diário Serrano, ed. do dia 18 de setembro/2016)



Psicóloga Joselaine Garcia
CRP/RS 18.433
Psicóloga Clínica
Especialista em Hipnose Condicionativa
Especialista em Hipnoterapia  cognitiva
Pós graduada  em Docência Universitária

Membro do Latin American Quality Institute

Psicóloga laureada com diversos prêmios: Internacional, Nacional e Estadual 

CONSULTÓRIO DE PSICOLOGIA 
Rua Barão do Rio Branco 1701, sala 101  | Fone : 55.9167-7928
CRUZ ALTA RS,