domingo, 8 de julho de 2018

PREVENÇÃO AO SUICÍDIO


Você sabia que o comportamento suicida é na atualidade um dos maiores problemas da Saúde Pública mundial e ganha impulso a cada ano?
O impacto psicológico e social do suicídio em uma família e na sociedade é imensurável. Em média, um único suicídio afeta pelo menos outras seis pessoas.
A “dor emocional” que muitas pessoas sentem diante de um “vazio existencial”, é algo inexplicável, Ninguém escolhe suicidar-se. Ele ocorre quando a dor que sentimos é maior que os recursos para enfrentá-los. A sua intenção é parar a sua imensurável dor psicológica e não pôr término à sua vida. O suicida na verdade não quer se matar, mas quer matar a sua dor, cada pessoa tem os seus próprios motivos, muito particulares, profundos e extremamente dolorosos que a levam a ponderar desistir de viver. Porém se faz necessário salientar que o comportamento suicida não é apenas uma resposta a um estresse extremo. O suicídio na maioria das vezes é o desfecho trágico de doenças psiquiátricas como (depressão, bipolaridade, esquizofrenia, etc), estas contribuem significativamente para um estado de maior desorganização e desconforto emocional.

 Como ajudar alguém que está prestes a cometer o suicídio?

Casos de suicídio poderiam ser prevenidos se a pessoa buscasse ajuda e se tivesse a atenção de quem está à sua volta. Portanto, procure ouvir atentamente, demonstre sua preocupação, seu cuidado e sua afeição para com ela, tente compreender os sentimentos dessa pessoa sem críticas, procure conversar com a família, amigos ou rede de apoio dessa pessoa, caso a pessoa tenha acesso a métodos suicidas, como armas e remédios, remova-os imediatamente. Oriente e/ou auxilie a buscar ajuda de um profissional, Psiquiatra ou Psicólogo, imediatamente.

Se você sentir que a pessoa está em crise, procure ajuda imediatamente, ainda que ela peça para você não fazer isso.

Se você for um adolescente e estiver preocupado com um amigo ou familiar, converse com um adulto confiável ou procure ajuda profissional logo. Não guarde segredo, apesar de ter prometido que não o faria.

IMPORTANTE - Leve qualquer ameaça de suicídio a sério. Talvez você tenha ouvido que pessoas que cometem suicídio não falam sobre o assunto, Isso não é verdade! Uma pessoa que fala abertamente sobre se suicidar pode estar pedindo ajuda da única maneira que consegue conceber; se ninguém oferecer ajuda, ela pode ceder aos seus impulsos e tirar a própria vida.

Como identificar a "tendência" suicida?

 A maioria das pessoas com tendências suicidas dá sinais de que vai se matar. Alguns dos sinais são:

- Afastamento ou isolamento social;
- Insônia persistente, angústia permanente ou ansiedade;
- Apatia, letargia, falta de apetite;
- Dificuldades de relacionamento e integração na família ou no grupo;
- Automutilação.
- Começar a colocar a vida em risco, como abusar de álcool e drogas, dirigir de forma irresponsável, brincar com armas de fogos perigosas.
 - Falar muito acerca da morte, suicídio ou de que não há razões para viver, utilizando FRASES DO TIPO:
ü  “Eu preferia estar morto”
ü  “Eu não agüento mais”
ü  “Os outros vão ser mais felizes sem mim”
ü  “Eu sou um peso para os outros”
ü  “A vida não vale a pena”
ü  “Nada mais importa.”
ü  “Estou tão solitário que queria morrer.”
ü  “Não vou te atrapalhar por muito tempo.”
ü  “Ninguém me entende”
ü  “Ninguém se sente como eu me sinto.”
ü  “Eu estaria melhor morto”
ü  “Queria não ter nascido.”

Qualquer frase nesta linha é um forte indicativo de risco de suicídio.


Joselaine Garcia
Psicóloga Clínica - CRP/RS 18.433
Psicóloga Premiada Internacionalmente
Especialista em Hipnose Condicionativa
Especialista em Hipnoterapia cognitiva
Pós graduada em Docência Universitária
Membro do Latin American Quality Institute
Blogueira - Blog: joselainegarcia.blogspot.com.br