domingo, 8 de novembro de 2015

É PRECISO ABANDONAR A META IMPOSSÍVEL DE “SER PERFEITO”.

Nenhuma pessoa desabrocha se a crítica a si mesmo (a) não perdoa a menor falha.

Para muitas pessoas, é difícil conviver com os seus defeitos e as fraquezas.

Mas quem disse que a perfeição é o interruptor da felicidade? Você pode ser feliz sem ser perfeita (o).

Boa parte das pessoas tem dificuldade em lidar com as falhas em geral. Nós nos avaliamos com mais rigor do que avaliaríamos outra pessoa. Deixamos que nossas pequenas falhas ofusquem nossas muitas realizações.
Como se liberar das exigências exageradas e se aceitar da forma que você é, como silenciar o julgador que nos golpeia com o martelo da intransigência e da rigidez?

É preciso, primeiramente, valorizar o que de bom possuímos e a avaliar se nossas expectativas de performance são realistas ou um tanto ou quanto ilusórias.

Cabe igualmente examinar como estamos nos percebendo em relação a nós mesmas (os). A autoestima é uma edificação perene, fundamentada em valores afetivos, morais, educacionais e intelectuais.

Muitas vezes a qualidade de vida psicológica de uma pessoa depende dos tipos de vínculos que ela estabelece no início de sua vida com seus modelos (mãe, pai e/ou cuidadores). Estes vínculos são importantes para a formação da estrutura da personalidade, o que acaba influenciando a forma como nos percebemos, a nossa auto aceitação, a autoestima enfim a forma que administramos nossa vida.

No entanto, essa maturação é lenta, e hoje somos vitimas do imediatismo, é preciso controlar a ansiedade de querer ser melhor do dia para a noite, o que é irreal, pois para haver amadurecimento emocional, auto aceitação é imprescindível autoconhecimento.

Quando a pessoa passa a se orgulhar de si mesma, consegue se gostar e se perdoar, isso acaba refletindo em vários aspectos da vida. No entanto, cabe salientar que aceitarmo-nos não significa nos acomodar, precisamos conhecer nossas limitações e respeitá-las, mas nunca abdicar ao desejo de nos aprimorar.

A rejeição de si próprio, a ausência de autoestima faz com que sejamos carrascos de nós mesmos. Ser eu mesma (o) é o núcleo de uma vida saudável. "aceite-se"!

Auto aceitação é capacidade de tolerar as falhas. Enfim, não ser tão rigorosa (o) consigo mesma (o).

APRENDA A GOSTAR DE SI MESMA (O)! AFINAL, VOCÊ É ÚNICA (O).


Você é a responsável pelos seus sofrimentos!

Procure um psicólogo(a) de sua confiança, faça uma consulta e decida pelas suas mudanças emocionais. Quando aprendemos a simplificar as coisas e ver seu verdadeiro valor, a vida se torna mais prazerosa, mais gostosa de ser vivida

Psicóloga Joselaine Garcia
CRP/RS 18.433

Psicóloga Clínica
Hipnóloga Clínica
Hipnoterapeuta  Condicionativa
Hipnoterapeuta   Cognitiva
Especialista em Docência Universitária

Credenciada ao Instituto Brasileiro de Hipnologia
Membro da Sociedade Ibero-Americana de Hipnose Condicionativa
Membro do Latin American Quality Institute

   B L O G U E I R A -    Blog: http://joselainegarcia.blogspot.com.br/

Colabora regularmente com a imprensa escrita, rádio e televisão.

Psicóloga laureada com diversos prêmios: Internacional, Nacional e Estadual 

CONSULTÓRIO DE PSICOLOGIA EM CRUZ ALTA RS,
Rua Barão do Rio Branco 1701, sala 101  l  Fone : 55.9167-7928